Entenda como a prática de exercícios físicos pode aliviar as dores nas costas

exercícios físicos pode aliviar as dores nas costas

Embora a dor dificulte o exercício físico, a falta de exercício pode piorar a dor, levando à rigidez e fraqueza.

No caso de dor relacionada ao disco, a falta de exercício privará o disco lesionado da nutrição de que necessita e isso pode levar a degeneração e dores adicionais.

Além disso, o exercício e a atividade são necessários para ajudar a reduzir a inflamação que ocorre naturalmente nos tecidos ao redor de um disco lesionado. Esse inchaço pode irritar ainda mais os nervos e ocasionar a hérnia de disco.

Pode levar semanas ou meses de alongamento, mas você descobrirá que o aumento na amplitude de movimento pode levar a um alívio da dor.

O movimento nutre e repara os discos, músculos, ligamentos e articulações da coluna. O exercício também ajuda a incorporar os nutrientes necessários dentro e ao redor dos espaços do disco em toda a coluna.

Alongar os tendões regularmente é uma terapia essencial para dor lombar e ciática.

Se um episódio de dor lombar durou duas semanas ou mais, um programa de fortalecimento ajuda na recuperação a longo prazo. Programas típicos podem incluir exercícios de treinamento e estabilização lombar e / ou outros exercícios prescritos.

A maioria dos médicos e fisioterapeutas lhe dirá que seus pacientes condicionados aerobicamente tendem a ter menos dor nas costas e ciática.

Exercício aeróbico de baixo impacto traz nutrientes para estruturas lesionadas nas costas e ajuda a curar.

Andar a pé ou andar de bicicleta pode ser uma forma eficaz de exercício de baixo impacto. Se você está com dor severa, a terapia com compressas é uma opção que pode fornecer múltiplos benefícios terapêuticos e condicionantes com menos estresse.

Obtenha um programa de exercícios individualizado

Dependendo de seu diagnóstico específico e nível de dor, seu programa de reabilitação será muito diferente, por isso é importante consultar um especialista em coluna que seja treinado para desenvolver um programa de exercícios individualizado e instruí-lo sobre a forma e a técnica corretas.

No sistema musculoesquelético, o desuso dos músculos pode levar rapidamente à atrofia e perda de massa muscular. Se você já teve um braço ou uma perna engessada, você estará familiarizado com o fato de que o diâmetro do membro afetado pode ser visivelmente menor depois de imobilizado por algum tempo.

Os efeitos cardiovasculares também ocorrem devido ao desuso, incluindo uma diminuição na captação de oxigênio, um aumento na pressão arterial sistólica e uma diminuição do volume total do plasma sanguíneo de 10 a 15% com repouso prolongado no leito.

A inatividade física também leva a alterações do sistema nervoso, incluindo um processamento mental mais lento, problemas de memória e concentração, depressão e ansiedade.

Muitas outras alterações fisiológicas prejudiciais também ocorrem. O desuso foi resumido da seguinte forma: “A inatividade desempenha um papel difuso na nossa falta de bem-estar. O desuso é física, mental e espiritualmente debilitante”. Muitos especialistas acreditam que a síndrome de desuso é uma variável-chave na perpetuação de muitos problemas de dor crônica.

Para a maioria dos problemas nas costas, o exercício e o movimento são os estímulos naturais para o processo de cura. Exercício controlado, gradual e progressivo, em vez de inatividade e repouso no leito, na maioria das vezes fornece a melhor solução a longo prazo para reduzir a dor nas costas e prevenir (ou diminuir) futuros episódios de dor.

A maioria dos especialistas recomenda não mais do que um ou dois dias de descanso no início da maioria dos episódios de dor nas costas. A inatividade prolongada pode realmente aumentar a dor nas costas quando as costas se tornam rígidas, fracas e sem condicionamento.

À medida que a dor aumenta, muitos pacientes reduzem seus níveis de atividade e exercício, resultando em ainda mais dor nas costas e agravando o ciclo de inatividade e recorrência da dor nas costas.